Participe, faça o Registro - clique em Seguir - é grátis

Para encontrar um assunto no blog digite uma palavra abaixo em Pesquisar ou acesse arquivos.

Pesquisar este blog

Mais assuntos acesse Arquivos do Blog

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Esquema de inventários florestais falsos em Joinville

A Prefeitura Municipal de Joinville através da Secretaria de Gestão de Pessoas/Área de Procedimento Administrativo Disciplinar, abre um processo para apurar suposto envolvimento de servidores púbicos muncipais: Fernando Salles Tavares, matrícula 24.352 - Geólogo, Laércio Copanski, matrícula 17.647 -Técnico Florestal e Engenheiro Sanitarista Pedro Ivo Barnack, matrícula 12.798, na facilitação na aprovação de licenciamentos ambientais bem como o senhor  Fernando Salles Tavares, supostamente envolvido no esquema de realização de inventários florestais falsos e enganosos, concessão de preferências no trâmite dos pedidos de licenciamento no órgão ambiental - FUNDEMA (Fundação Municipal do Meio Ambiente).

O Processo Administrativo Disciplinar foi aberto pelo nº 56/2010, onde a Comissão nomeada através da Portaria nº 296/2010, de 20 de outubro de 2010, tem a incumbência de promover as devidas providências para o esclarecimento dos fatos.

A Área de Procedimento Administrativo Disciplinar da Prefeitura de Joinville é composta por 4 comissões, as quais tem por objetivo esclarecer atos e fatos que envolvem irregularidades no serviço e prejuízos ao erário público.

4 comentários:

Elô disse...

Levei um susto ao ler a notícia, pois trabalhei alguns anos com os 3 servidores citados e os mesmos sempre foram muito corretos em suas atividades profissionais. Nunca os vi em práticas suspeitas ou que ferissem nosso Estatuto do Servidor.

Júlio César disse...

Com certeza Eloisa são servidores idôneos...esta noticia e notificação saiu no Jornal A Notícia e Jornal município

Jordi C disse...

É provavel que o processo administrativo disciplinar se origine do nada, que não tenha nenhum indicio e que tudo seja só vontade de dar trabalho aos membros da comissão.
O bom é que as suspeitas sejam esclarecidas e que se nada de errado fizeram, sejam dissipadas as duvidas.
Simples, simples.
Mas que tinha fortes boatos que no passado tinha "coisa" na Fundema, tinha.

Fabiano Santangelo disse...

Bom Dia.
Que fique registrado: O PAD 56/2010, onde figuravam investigados o Sr. Laércio Copanski e outros, foi ARQUIVADO pela Comissão, entendendo que não há provas de ilícito civil ou infração disciplinar ou administrativa.
Registre-se também que o mesmo ocorreu com o processo crime que tramitou sobre os mesmos fatos, onde o PRÓPRIO MINISTÉRIO PÚBLICO pediu a absolvição de todos os réus, pela imaterialidade da conduta. Ou seja, não há crime. O juiz então julgar improcedente a denúncia.
CASO ENCERRADO, que infelizmente apenas difamou a reputação dos técnicos da Fundema.