Participe, faça o Registro - clique em Seguir - é grátis

Para encontrar um assunto no blog digite uma palavra abaixo em Pesquisar ou acesse arquivos.

Pesquisar este blog

Mais assuntos acesse Arquivos do Blog

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Brasil desponta por uma independência moral

  
Os Direitos Humanos  quando baseados somente na lei se tornam frágeis....o mundo passa por uma política de: faça o que eu digo, mas não faça o que faço...
Então se posso fazer o que a lei diz e por outro lado ignoro a questão moral, temos a apostasia no seu auge, ou seja, praticamos o contrário do que deveriamos fazer. A moral sempre está acima da lei, pois a lei se altera, ajusta e se modifica, mas a moral não.
 Fala da Presidente Dilma quando em visita à Cuba / janeiro/2012:
“Não é possível fazer da política de direitos humanos só uma arma de combate político-ideológico. O mundo precisa se convencer de que é algo que todos os países do mundo tem de se responsabilizar, inclusive o nosso. Quem atira a primeira pedra tem telhado de vidro. Nós, no Brasil, temos os nossos. Então, eu concordo em falar de direitos humanos dentro de uma perspectiva multilateral.”
http://blog.planalto.gov.br/na-primeira-visita-oficial-a-cuba-presidenta-assina-acordos-de-cooperacao-cientifica-e-tecnologica/  

A Constituição Brasileira tem na sua Lei alguns princípios perante o mundo:
Artigo 4º - A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:
(...)
II - prevalência dos direitos humanos;
III - autodeterminação dos povos;
IV - não-intervenção;
VII - solução pacífica dos conflitos;
VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo;
IX - cooperação entre os povos para o progresso da humanidade;
X - concessão de asilo político. 

Todos temos telhados de vidro...uma ação só pode ser aplicada caso não implique na saúde física e espiritual do sêr humano...e se alguns países impõe sua cultura e formas de governar aos outros, seja pela força ou diplomacia...cabe perguntar se o mundo está realmente preparado para os verdadeiros direitos humanos, costumes dos povos, formas de produzir e governar.

Nenhum comentário: